segunda-feira, 2 de abril de 2012

Sonhar como eu quiser, ser feliz onde eu puder...

Muitas pessoas têm a mania de julgar os outros pelas aparências. Por este ou por outro motivo olham para alguém e dizem “não gosto daquela pessoa”. Já dei comigo a fazer este tipo de julgamentos algumas vezes. E também já me senti estúpida quando acabei por conhecer algumas dessas pessoas a quem coloquei um rótulo errado e percebi que afinal até eram boas pessoas, e que até gostava delas. E mais que isso, algumas dessas pessoas ensinaram-me a ser, eu própria, uma pessoa muito melhor do que era antes de as conhecer.

E é nestas alturas que penso: para quê julgar, criar rótulos, excluir quem não conhecemos só porque não se comportam, não se vestem ou não vivem a vida da mesma forma que nós? Só porque podem ter uma ou outra atitude que não gostamos tanto ou que vai contra o que é socialmente correcto? Afinal de contas uma pessoa não se vê pelo seu todo, mas sim pelas suas partes…Muitas vezes não somos a imagem que passamos, ou simplesmente somos determinadas personagens consoante o lugar e a situação onde nos encontramos ou devido às pessoas que temos à nossa volta.

É muito fácil julgar quando não conhecemos, mas eu aprendi que bem mais fácil do que isso, é sermos tolerantes e deixarmos que cada um seja feliz ou infeliz à sua maneira. Quando aceitamos os outros como são, recebemos sempre algo em troca, seja o melhor dessa pessoa, ou simplesmente o ensinamento que não podemos ser como ela. Mas ganhar, ganhamos sempre.

Esta música fala por si:

2 comentários:

  1. Muito bem Ana Raquel! Concordo e subscrevo tudinho! Bjs***

    ResponderEliminar